Transformar o Comportamento dos Colaboradores: Quatro Ações-Chave

Transformar o Comportamento do Colaborador

Transformar o Comportamento dos Colaboradores: Quatro Ações-Chave

O Desafio da Mudança nas Empresas

Enquanto organismos vivos e plásticos, as empresas estão em constante mudança. Saber gerir o ambiente organizacional torna-se, assim, tão importante quão desafiante. Estamos, afinal, a falar de influenciar o comportamento dos colaboradores – algo notoriamente difícil, pois entramos na dialética da liderança. Questão se torna ainda mais pertinente quando as empresas estão envolvidas em processos de compra e venda.

Contudo, o foco deste artigo é a orientação do comportamento do colaborador e como é que o podemos moldar em quatro ações-chave. Não se trata de manipulação, mas sim de estratégias que, em última instância, vão promover o bem-estar do colaborado e da empresa.

Leia de seguida os pontos decisivos desta atitude de mudança e coordenação.

1. Promover a Compreensão e a ConvicçãoMudança

Uma das principais razões que levam a mudanças malsucedidas é a falta de compreensão e convicção entre os colaboradores. Quando as pessoas não entendem o “porquê” por detrás de uma mudança, é improvável que alterem o seu comportamento de maneira decisiva. É errado que a liderança assuma que o motivo da mudança é claro para toda a empresa, subestimando a importância de comunicar efetivamente os motivos que levaram a uma dada mudança. Este fenómeno decorre de um viés cognitivo conhecido como o “efeito do falso consenso”, que se caracteriza pela tendência mental que temos, como seres humanos, de acreditar que as nossas opiniões, crenças, preferências, valores e hábitos são um consenso, são (ou deveriam ser) consideradas normais.

Para superar essa armadilha, é crucial desenvolver uma narrativa de mudança que explique a todos os envolvidos em que direção está a ir empresa, o porquê da necessidade de mudança e quais são os benefícios. Além disso, é importante criar um ciclo de feedback para avaliar como é que a mensagem está a ser recebida. Atribuir uma narrativa à comunicação da mudança atua como uma excelente ferramenta de influência.

Pode ouvir mais sobre mudança na cultura empresarial aqui: Podcast Mãos na Massa dedicado ao tópico da excelência operacional.

2. Reforçar a Ação por Meios Formais

Segundo a psicologia do comportamento, as recompensas e os reforços positivos têm um papel fundamental na maneira como moldamos as ações das pessoas. No entanto, muitas empresas não aproveitam este conhecimento de maneira eficaz. É importante alinhar as recompensas com um sistema de reforços do comportamento desejado. Isto evita atritos na gestão do comportamento dos colaboradores.

Um aspeto em voga diz respeito à noção de que o dinheiro, embora essencial, já não é o único fator motivador. Sobretudo nos quadros mais elevados, pois a ciência afirma que, a partir de um certo valor, o dinheiro deixa de ser o motor da felicidade e motivação no trabalho. Por sua vez, aspetos como a colaboração com a equipa e o propósito do trabalho podem ter um impacto mais significativo no comportamento e no desempenho.

3. Desenvolver Talentos e Habilidades

O cérebro humano tem uma capacidade impressionante de se adaptar. A neurociência tem apresentado uma série de estudos que refletem sobre a capacidade do cérebro permanecer plástico ao longo da vida, o que significa que pode adquirir novas habilidades, mesmo na idade adulta. Não é, porém, incomum que cheguemos a um ponto da nossa vida em que a repetição de várias tarefas leva-nos a mirrar a criatividade e, sobretudo, a deixar de acreditar que conseguimos aprender a desenvolver novas tarefas ou a utilizar ferramentas de ponta.

Tendo em conta a sociedade veloz em que vivemos, é crucial mudar estas crenças. Até porque podemos sentir-nos realmente competentes e no controlo das situações quando superamos este obstáculo mental. Voltando ao contexto empresarial, quando os colaboradores acreditam que os seus desempenhos têm um impacto positivo, sentem-se mais motivados a melhorar e contribuir para uma empresa mais inovadora.

4. Modelar as Funções

Um princípio da psicologia social diz-nos que a observação é um dos principais métodos de aprendizagem. Os líderes desempenham, assim, um papel crucial na modelação do comportamento. Ainda assim, isto não dispensa o papel dos colegas, cujas atitudes e motivação podem ser contagiantes.

Enquanto ser social, há milénios que o Homem precisa de aprovação e validação – era, aliás, uma questão de sobrevivência. Hoje em dia, a digitalização exponenciou os feedbacks que recebemos. Voltando à psicologia, a “prova social” no contexto empresarial é relevante porque as pessoas tendem a seguir o comportamento da maioria. Utilizar este conceito a favor do bom ambiente empresarial pode agilizar o comportamento dos colaboradores num processo de mudança.

 

Agora está Pronto para a Mudança!

A transformação empresarial implica, sempre, uma abordagem holística. Através destas ações, que em grande medida vão beber da psicologia, poderá influenciar o comportamento dos colaboradores. Seja através da promoção da compreensão, do uso de reforços adequados, do desenvolvimento do talento ou até da modelação de papéis. Uma estratégia integrada destas ações-chave vão ajudá-lo a transformar a sua empresa de dentro para fora. Se é mais fácil escrever do que fazer? Sim, mas vale a pena tentar.

Pretende iniciar um processo de compra ou venda de empresa? Conheça a nossa proposta de valor neste artigo!

382 Comments

Post A Comment